terça-feira, 27 de maio de 2014

Mané poeta

Mané poeta era bom
Era um mané malandro
Desses que tem encanto
Que tem por dom o canto, e canta.

Cerveja na mão
Microfone do lado
Instrumento colado
Língua molhada

Adorava menininha
Moreninha, indiazinha
Loirinha, ruivinha
Não esquecia uma 'inha'

Mulher chovia
Mané dava conta
Sempre queria.
Malandro responsa

Mané era malandro
E queria malandro, virar Mané
Conseguia o que queria
Tinha horta de mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário