sábado, 12 de novembro de 2011

Antes fosse a gramática

Você passou de sujeito indeterminado a núcleo das minhas orações principais. O tornei sinônimo de um pronome possessivo, e me tornei intransitiva indiretamente, sem perceber. Te classifiquei com os melhores adjetivos possíveis e fiquei feliz quando nossa relação deixou de ser impessoal.
Mas sua concordância nominal começou a diferir da minha, e a verbal não conjugava meus verbos. Era, então, a conclusão de um período simples, porém marcante.
Foi um pretérito imperfeito, um indicativo do quão duvidoso seria o subjuntivo daquela relação de tratamento. Tu não quiseste o nós, me resta agora chamá-lo por vós. Tive que tratá-lo com qualquer pronome formal.
Antes tivesse ficado indefinido, sem pronome de relação ou tratamento.
João Cabral teria te definido melhor, eu sou muito lírica pra isso, e uma postura racional faria toda diferença. O parnasianismo é um patamar a ser alcançado. É esse meu romantismo medíocre, platônico e infantil que acaba comigo. Antes fosse só a gramática...


Originalmente escrito em 11/12/2010.

5 comentários:

  1. Antes fosse só gramática:eu as palavras e você o significado...

    ResponderExcluir
  2. Gostei gostei ^^. Agora eu queria ver um fazendo menção à matemática! :)

    ResponderExcluir
  3. complexamente simples... ou seja simlesmente maravilhoso

    ResponderExcluir